Instrutores

Instrutores

Ajahn Mudito

Ajahn Mudito é paulista e teve seu primeiro contato com o ensinamento do Buddha através da Casa de Dharma, em São Paulo. Após terminar a faculdade começou a considerar a possibilidade de experimentar a vida monástica mas quando leu num artigo que é raro encontrar monges que respeitem a regra monástica criada pelo próprio Buddha, se perguntou “Como é possível justamente os monges budistas, que deveriam ser os discípulos mais exemplares do Buddha, não observarem a regra monástica que ele determinou?” Com esse pensamento em mente se decidiu a procurar um monastério onde essa tradição ainda fosse respeitada. Sua busca terminou quando encontrou uma entrevista com Luang Pó Sumedho onde ele abordava esse assunto. Imediatamente entrou em contato com o monastério dele onde lhe sugeriram visitar Wat Pah Nanachat, na Tailândia. Assim começou sua vida monástica em 2002, aos 25 anos de idade. Em 2004 recebeu ordenação como bhikkhu em Wat Nong Pah Pong tendo Luang Pó Liem (Chao Khun Prah Raja Bhavana Vigrom) como upajjhaya. Após alguns anos morando em Wat Pah Nanachat decidiu se mudar para Wat Pah Cittabhavana em Pathum Thani para poder residir e praticar sob orientação de Luang Pó Piak (Prah Kru Pathum Bhavana Vigrom) que continua sendo seu professor até o presente momento. Também passou tempo em Vimutti Forest Monastery, na Nova Zelândia e em um pequeno monastério vinculado a Luang Pó Piak numa zona rural de Nakhon Nayok chamado Wat Khao Sam Lan, onde Luang Pó Issará é o abade. Atualmente reside no Brasil e é presidente da Sociedade Budista do Brasil.

Ajahn Mudito também tem um extenso trabalho de tradução de textos de Dhamma do Tailandês para o português que pode ser encontrado no site Dhamma da Floresta.

Anna Azambuja

Cresceu em São Paulo e travou os primeiros contatos com a meditação através da prática da Yoga, em 2002. Buscou então conhecer o Budismo e, em 2008, começou a frequentar o Zen do Brasil.
Em 2012 mudou-se para o Rio de Janeiro e, ao procurar locais para a prática do Dhamma, conheceu a Sociedade Budista do Brasil e o Budismo Theravada. Foi quando sentiu que uma longa busca por um “caminho espiritual” havia chegado ao fim. Passou a atuar como voluntária assídua a partir de então. Desde setembro de 2012, frequenta e organiza diversos retiros com professores leigos e monges. Em 2013, passou 5 meses como residente do Rio Buddha Vihāra – buscando aproveitar este período, em que o Vihara recebeu estadias longas dos monges Ajahn Piyadhammo e Venerável Rahula, para aprofundar o estudo do Dhamma, a prática da meditação e oferecer apoio às atividades do Vihāra. Ainda em 2013 fez o Curso de Instrutores do Dhamma com Bhante Rahula e, desde 2014, faz parte da Diretoria da Sociedade Budista do Brasil.

Antônio Dutra

Professor de Ensino Médio e Fundamental de História, Bacharel e Licenciado em História (IFCS-UFRJ), Especialista em Relações Internacionais (UCAM), Mestre em Relações Internacionais (PUC-Rio) e Doutorando em Ciência Política (IESP-UERJ). Aprecia a literatura e tem dois livros publicados.
​Por volta de 2004, começou a desenvolver interesse pela meditação, o que levou à prática em grupos Zen. A partir de 2007 decidiu participar de sesshins (retiros) mais regularmente. Por volta de 2010 aproximou-se da tradição Theravada e, desde então,  teve ocasião de participar de retiros na Sociedade Budista do Brasil e dos grupos de estudos do Prof. Arthur Shaker. Logo passou a integrar o grupo de voluntários que ajuda na manutenção do Rio Buddha Vihāra. Em 2016, foi convidado a ajudar na instrução da meditação e palestras nos Pujas de domingo e nos Cursos para Iniciantes.

Arthur Shaker

Fundador e Professor de meditação da Casa de Dharma e diversos outros centros de meditação. Coordenar do Núcleo Neurociências, Mindfulness e Saúde. PhD em Etnologia Indígena, pela UNICAMP; Estágios em Educação e Estudos do Hinduísmo e Budismo na Índia e Tailândia; é também autor de “Buddhismo e Christianismo: esteios e caminhos”, “A Travessia Buddhista da Vida e da Morte”, “Romhõsi’wa – os Senhores da criação do mundo Xavante”. Como músico gravou os álbuns “Bhava Chakra” e  Interiores do Ser-tão”. Para mais informações, visite:

http://arthurshaker.blogspot.com.br/

http://saudemindfulness.blogspot.com.br/

Fabiana Gomes

Foi Presidente da Sociedade Budista do Brasil por 4 anos, e hoje é membro de sua Diretoria. Praticante de meditação há 17 anos, conheceu a SBB em 2001, e foi aluna de Don Kulatunga Jayanetti, ex- Bikkhu Anurudha, primeiro monge Theravada a residir no Rio Buddha Vihāra. Participa anualmente, desde 2003, de retiros de dez dias de meditação e silêncio. Já teve orientação e se inspira nos ensinamentos de Bhante Henepola Gunaratana (Sri Lanka, EUA), Bhante Yogavacara Rahula (EUA), Ajahn Sumedho (EUA), Ajahn Dhammiko (Portugal), Bhante Buddharakkhita (Uganda), Allan Wallace (EUA) e Maria Noel (Argentina).
Se formou em Relações Públicas (UERJ, 2004) e trabalhou por 15 anos na área de Comunicação e Recursos Humanos de grandes empresas como O GLOBO, Contax e Fundação Roberto Marinho. Se formou como professora de Yoga no Sivananda Ashram, Canadá, em 2009. Em 2013, concluiu o curso de Mindfulness para Psicoterapeutas com Maria Noel, aluna de John Kabat-Zinn, na Sociedad Mindfulness em Buenos Aires, e uma Pós-graduação em Antropologia e Desenvolvimento Cognitivo (UFF). Seu trabalho final foi uma pesquisa sobre os resultados da aplicação de Mindfulness no tratamento da Dependência Química, sob o olhar da antropologia, neurociência e psicologia. Em 2014, teve a oportunidade de viver por quatro meses no Rio Buddha Vihāra sob a orientação de Bhante Yogavaccara Rahula, praticando meditação intensiva. Por outros quatro meses conheceu os mais importantes mosteiros budistas da Europa, onde manteve sua prática.
Se inspira em compartilhar experiências relacionadas ao autoconhecimento, educação e insight, e na arte de ensinar e aprender colaborativamente. Há quatro anos oferece retiros e cursos de meditação e Budismo em centros de meditação e participa de Seminários e Congressos sobre Religiosidade, Cultura de Paz, e Ciência e Meditação (World Buddhist Congress – China; Sociedade Vipassana – Brasília; Ciência e Religiosidade – UFFRJ; Mulheres e Diversidade Religiosa – UERJ).

João Nery Rafael

João Nery Rafael é psicólogo e professor de meditação. Iniciou sua prática em 2005 sob orientação do professor e fundador da Casa de Dharma, Arthur Shaker. Após alguns anos, mesmo ainda residindo em São Paulo, assumiu um cargo na Diretoria da SBB com a intenção de ajudar a instituição, à época tão fragilizada.
Em 2010, ao concluir sua graduação em Psicologia, optou por um período sabático em retiros e mosteiros na Tailândia e nos Estados Unidos com o fim de dedicar-se mais intensamente à meditação. Retornou ao Brasil em 2011 e, pouco tempo depois, assumiu a Presidência da Sociedade Budista do Brasil com a aspiração de criar causas e condições para que a Sangha se estabeleça no Brasil.
Com o apoio do então membro da Diretoria Raryel Costa, hoje Bikkhu Adhipañño, decidiu que a SBB deveria passar a oferecer todas as suas atividades nos conformes da Tradição Theravada: totalmente livres de custos. Apesar de desafiadora, a decisão gerou frutos de crescente generosidade, e a ideia distante de reformar a sede começou a parecer real. Em razão disso, decidiu residir no Vihāra e, por mais de um ano, conduziu as obras nesse sentido. Entre outras obras, foi responsável pela contenção da encosta, pelo Kuti, pela nova sala de meditação e pela reforma do lago.
Continua fazendo parte da equipe da Sociedade Budista do Brasil, dando suporte à permanência da Sangha no país.

Michael Nicklas

Atual Vice-Presidente da Sociedade Budista do Brasil, tem formação em Economia e Relações Internacionais, além de trabalhos a nível de graduação em Religião e Antropologia.
Pratica Budismo há mais de 20 anos, com experiências nas Tradições Tibetana (Gelugpa, Kagyu) e Japonesa (Tendai, Zen). Participou de retiros com o Dalai Lama, Robert Thurman, Shylpa Tenzin Rinpoche e outros mestres do Budismo Tibetano.
Seu primeiro contato direto com a Escola Theravada foi através da ‘Insight Meditation Society’ em Barre, Massachusetts e, posteriormente, através do Bhikkhu Bodhi.
Se mudou para o Rio de Janeiro em 2010 e, desde então, estuda e pratica Budismo Theravada, tendo participado de retiros conduzidos por diversos professores, como Prof. Arthur Shaker, Bhante Rahula, Bhante Buddharakkhita, Ajahn Dhammiko, Ajahn Thannisaro e Ajahn Mudito.

Olga Corte

Começou a praticar o Budismo no final dos anos 70, seguindo por nove anos a tradição da escola Soto Zen.  Mais tarde ​identificou-se melhor com ​a Escola Theravada, passando a frequentar, a partir dos anos 90, a Casa de Dharma, em São Paulo. Participou de diversos retiros de 9 dias com Bhante Gunaratana, Bhante Rahula, Bhante Buddharakkhita e outros. Com o intuito de aprofundar-se na prática, participou, também, de retiros fora do Brasil: um mês na Birmânia e 3 meses no Bodhinyana Monastery, Austrália. Passou por estadias no Mosteiros Sumedharama, em Portugal, Abhayagiri, nos EUA, e Suan Mokh, na Tailândia. Residiu no Rio Buddha Vihāra por 6 meses em diferentes períodos, apoiando o Templo e dedicando-se aos estudos do Dhamma.
Em 2005 concluiu sua formação como professora de Yoga e, desde 2007, viaja anualmente à Índia participando de  diferentes cursos na área do Yoga. Entre 2011 e 2012 passou 4 meses na ‘Bihar School of Yoga’​,​ em​ Munger, e a partir de 2012 tem feito diversos cursos na KYM​ (Krishnamacharya Yoga Mandiram), em Chennai, onde está atualmente fazendo um novo curso de formação.

Patrícia Simoens

Professora de Inglês desde 1987, com formação em Jornalismo p​e​la UFRJ e m​ã​e de dois filhos, teve sua educação religiosa nos moldes tradicionais da Igreja Católica. Porém, desde pequena se interessou por meditação e teve seu primeiro​ contato com ensinamentos orientais através da Yoga, que pratica desde jovem. Os primeiros ensinamentos budistas vieram pela leitura de Thich Nhat Hanh, monge​ vietnamita.​
Em busca de aliar os ensinamentos teóricos​ budistas​ com a prática de meditação, em agosto de 2010 localizou pela internet a Sociedade Budista do Brasil. Imediatamente se identificou com a simplicidade e profundidade da Tradição Theravada e desde 2011 vem participando de retiros oferecidos pela SBB e pela Casa de Dharma (SP) com João Paulo Rafael Nery, Arthur Shaker, Bhante Gunaratana, Bhante Piyadhammo, Bhante Dhammiko e Bhante Rahula. Com este último realizou em 2013 o Curso de Instrutores, para que, na ausência de monges, pudesse contribuir com a partilha do Dhamma com todos aqueles que procuram a Sociedade Budista do Brasil.

Ygor Abrahão

É Oficial de Marinha, e seu primeiro contato com o Dhamma foi através de uma visita realizada à Sociedade Budista do Brasil em 2006.
Ao buscar uma prática espiritual que fizesse mais sentido, encontrou no Budismo Theravada o que vinha procurando. Iniciou-a em 2012 no Rio Buddha Vihāra. Desde então, participou de diversos mini-retiros e retiros de 10 dias oferecidos pela SBB, dentre os quais destacam-se os realizados no período de Carnaval com Bhante Rahula (EUA) e Bhante Dhammiko (Portugal).