Meditação

Meditação ou Bhavana, o cultivo da mente

O Buda disse: ‘Bhikkhus, existem dois tipos de enfermidades.Quais são as duas? Enfermidade física e enfermidade mental. Parece que existem pessoas que desfrutam o estar livre da enfermidade física por um ano ou dois…até mesmo por cem anos. Mas, bhikkhus, é raro neste mundo alguém que desfrute o estar livre da enfermidade mental nem que seja por um momento apenas, exceto aqueles que se libertaram das impurezas mentais.’

Os ensinamentos do Buda, e em particular o método de meditação ensinado por ele, tem como objetivo produzir um estado de saúde mental perfeita, equilíbrio e tranqüilidade. A palavra meditação é na verdade um pobre substituto para o termo original em Pali – bhavana, que significa ‘cultura’ ou ‘desenvolvimento’ isto é, cultura mental ou desenvolvimento mental. A meditação Budista ou bhavana, representa o desenvolvimento mental no sentido mais amplo da palavra. Seu objetivo é purificar a mente das impurezas e perturbações, tais como os desejos sensuais, raiva, má vontade, indolência, preocupações, inquietações e dúvidas, e cultivar qualidades como a concentração, atenção, inteligência, energia, a faculdade de análise, confiança, alegria, tranqüilidade e finalmente conduzir ao alcance da sabedoria máxima que é ver e compreender a natureza das coisas tal como elas na verdade são e realizar a verdade última, Nibbana.

Existem dois tipos de meditação. Uma é o desenvolvimento da concentração mental (samma samadhi). Este tipo de meditação já existia antes do Buda. Portanto não é puramente Budista, mas não está excluída do campo da meditação Budista. A outra forma de meditação é conhecida como vipassana ou insight sobre a verdadeira natureza das coisas. Esse é um tipo de meditação essencialmente Budista. É um método analítico baseado na atenção plena, plena consciência e investigação.

(Walpola Rahula – What the Buddha Taught, 1974)

Meditação – Desperte o amor e a sabedoria no seu interior

CONSCIENTE AQUI E AGORA!

* Esteja consciente e atento ao que você está fazendo a cada instante.

* Quando estiver andando, parado, sentado ou deitado você deve estar consciente disto.

* Quando caminhando, fique consciente de cada movimento e gesto do ato de caminhar. Acompanhe o movimento da perna e, em especial, o da que está movendo a cada passo confirmando mentalmente: esquerda- direita.

* Ao ouvir algum som esteja consciente disto: estou ouvindo agora.

* Ao pensar alguma coisa esteja consciente disto: estou pensando agora.

* Ao tocar, ou encostar , em algo, esteja consciente disto: estou tocando agora.

* Ao se levantar: estou levantando; ao estar de pé estou de pé; ao caminhar: estou caminhando; ao pegar um prato: estou pegando; ao colocar a comida: estou colocando; ao pegar no garfo: estou pegando; ao levar a comida à boca: levando; ao mastigar: mastigando; ao saborear: saboreando; ao engolir engolindo.

* Quando comendo: comendo; quando andando: andando; quando lendo: lendo; quando sentado: sentado.

* Ao ver veja atentamente; ao ouvir ouça atentamente; ao mover, faça o atentamente.

* Quando estiver parado, em pé, sentado, ou deitado observe a postura de todo o seu corpo.

* Verifique como está o seu corpo agora. Fique consciente das suas pernas, pés braços, mãos, ombros e rosto.

* Observe a sua respiração, observe como o seu corpo respira. Respire atentamente.

* Acompanhe toda a seqüência da respiração: desde o início da aspiração até o final da expiração, confirmando mentalmente: aspirando – exalando.

* Fique consciente do seu corpo, tenha o corpo como referência e deixe fluir os pensamentos que enxameiam a sua mente.

CONSCIENTIZANDO O CORPO!

* Ao sentar para meditar, relaxe o corpo e feche os olhos levemente; ajuste o seu assento de modo a permitir que a coluna deve ficar reta, sem encostar em nada, em posição de alerta e vigilância. Use uma almofada sob as nádegas para auxiliar a coluna.

* A coluna deve ficar ereta de modo tal que os ombros, braços e pescoço fiquem relaxados. O rosto deve ficar relaxado e voltado para frente.

* Nesta postura faça uma verificação de todo o corpo, afim de identificar se ainda existe alguma parte tensa ou dolorida. Se isto ocorrer, ajuste a posição.

* Após ajustada a posição correta do corpo, evite mudá-la.

* Toma consciência do seu corpo e da sua postura. Verifique todo o seu corpo, sinta as pernas, braços, tórax, costas, pescoço, coluna rosto e olhos.

CONSCIENTIZANDO O AMOR!

* Pense em uma pessoa pela qual você sinta verdadeiro e sincero amor e dirija para ela este sentimento, desejando-lhe saúde, alegria, sorte e tudo de bom. Depois pense em outras seis pessoas e repita os mesmos sentimentos e pensamentos.

* Pense em pessoas que estejam sofrendo em hospitais, nos lares infelizes, nas ruas, vitimas de doenças, ódio e ignorância e deseje que sua dor, tristeza, medo e má sorte tenha um fim. Que tudo de bom aconteça para elas, que haja saúde, alegria, paz e felicidade.

* Irradie este sentimento para todos os seres em todas as direções: a sua frente, atrás, ao leste, ao oeste, abaixo e acima, irradie sentimento de amor para todas as direções: “Que todos os seres possam estar felizes e em paz”.

* Fique agora consciente da sua respiração. Observe a aspiração e exalação. Acompanhe a sua respiração do começo até o fim. Respire atentamente, mas de forma natural e expontânea.

* Ao aspirar, repita mentalmente: “Amor”; mentalize o sentimento de amor enchendo os seus pulmões, repita mentalmente: “Compaixão” mentalize o sentimento de compaixão saindo de você e se espalhando pelo ambiente a sua volta e envolvendo todos os seres em todas as direções.

* Continue assim, até que o amor e a compaixão ocupem todo o espaço do seu corpo, os seus pensamentos e todos os seres e formas de vida.

CONSCIENTE DA RESPIRAÇÃO!

* Tome consciência do seu corpo e da sua postura.

* Dirija sua atenção para o rosto e tome consciência dos músculos da face, da boca e dos olhos. Verifique se há alguma parte tensa.

* Fique consciente da sua respiração. Observe como o seu corpo respira.

* Focalize a sua atenção na área do abdome resultante da respiração. Acompanhe cada detalhe do movimento da respiração , desde o início até o fim, confirmando mentalmente: subindo – descendo.

VIVENDO CORRETAMENTE!

* Desenvolva sentimentos de amor e simpatia por todos os seres.

* Pense menos em si e mais nos outros.

* Procure ser útil e prestativo. Pratique a caridade e seja generoso. Pratique o amor através do serviço ao próximo. Não perca a oportunidade de auxiliar o seu próximo.

* Não prejudique e nem faça mal a ninguém. Evite atividades cujo produto e resultado possam prejudicar outros seres vivos.

* Ao ganhar a vida, faça-o de maneira correta, honesta e justa. Não engane ninguém.

* Evite meios de sobrevivência e sustento que possam prejudicar outros seres ou tirar a sua paz de espirito e a sua tranqüilidade.

* Use sensatamente o que ganhar para manter a si, sua família e aqueles que dependem de você. Gaste de acordo com as necessidades reais sem ser miserável, mesquinho e nem extravagante.

ESFORÇO CORRETO!

* Desenvolva um esforço persistente para se manter vigilante, alegre e compassivo a cada momento.

* Faça um esforço sincero e persistente para abandonar, evitar e prevenir o surgimento de hábitos negativos de pensar, falar e agir.

* Onde houver tristeza e pesar, que haja alegria; onde houver má-vontade, que haja boa vontade e o desejo de servir; onde houver raiva, que haja amor, paciência e tolerância; onde houver rancor e ressentimento, que haja compreensão e fraternidade; onde houver o orgulho, a ambição e a vaidade, que haja a humildade e a simplicidade de coração ; onde houver a inveja, o ciúme e o egoísmo, que haja o desprendimento e a renúncia; onde houver a culpa e o remorso, que haja o arrependimento e o perdão.

PENSANDO CORRETAMENTE!

* Pense em coisas benéficas, de forma a ajudar a produzir bem-estar em você e nos outros. Purifique os seus pensamentos através do amor, concentração, vigilância e sabedoria.

* Não alimente pensamentos de má-vontade, raiva, inveja, cobiça, tristeza, aversão e medo. Estes pensamentos são prejudiciais somente para quem os produz. Além de envenenarem a mente e o corpo, são também um obstáculo para uma vida saudável.

* Fique atento e vigie seus pensamentos, evite divagar e fantasiar, que eles sejam livres de desejo, apego, ilusão, falsos conceitos e pontos-de-vista que não correspondam à realidade. Não julgue ninguém.

* Não acredite em qualquer coisa que alguém diga. Investigue os fatos e a realidade, veja as coisas por si mesmo. Que seus pensamento expressam realmente aquilo que você está sentindo e que melhor representem a sua experiência.

* Seja verdadeiro, sincero, e correto em pensamentos. Não deseje mal e nem sofrimento para os outros e para si. Não cobice o que não lhe pertence.

* Antes de agir e falar, compreenda; antes de compreender, ame. Habitue-se a pensar com amor e alegria.

FALANDO CORRETAMENTE!

* Quando falar, fale de maneira correta, isto é fale de acordo com a realidade e os fatos. Fale a verdade. Fale apenas o que sabe. Não minta em benefício próprio, nem em benefício de quem quer que seja.

* Não fale de modo a causar discórdia. Evite levar e trazer conversas que causem desarmonia e discórdia. Não levante falsos testemunhos e nem calunie ninguém. Evite criticar quem está ausente e nem fale de mal de ninguém.

* Não diga palavras ásperas, vulgares e ofensivas. Que a sua voz transmita amor, alegria e compreensão. Diga apenas coisas que esclareçam e sejam verdadeiras, úteis e benéficas a quem as houve.

* Evite criticar, lamentar, reclamar e queixar-se desnecessariamente. Não fale à-toa, sem um bom motivo; evite tagarelar. Fale apenas o justo e o necessário, no local e momento oportunos.

AGINDO CORRETAMENTE!

* Ao agir através do corpo seja correto em suas ações, isto é, aja sempre com amor, atenção e consciência.

* Use o seu corpo como um instrumento sagrado capaz de realizar seus sentimentos de amor, compaixão e desejo de auxílio ao próximo.

* Evite comportamento sexual incorreto e contrária à natureza humana. Não pratique e nem induza ninguém ao adultério.

* Evite envolvimentos afetivos que possam causar sofrimento, magoar e prejudicar outras pessoas.

* Não use drogas e bebidas que possam perturbar sua mente. Purifique seu corpo e desenvolva uma mente lúcida.

* Cuidado com as conseqüências das suas ações, aja com cautela e seja refletido.

* Evite matar, agredir, ferir e prejudicar qualquer ser vivo. Seja compassivo e não maltrate ninguém e nem mesmo o mais ínfimo dos seres. Respeite qualquer forma de vida. Todos tem direito à vida e de viver e ser o que são.

* Dê e receba livremente e evite roubar, pegar, extraviar, danificar, e apropriar-se indevidamente dos pertences alheios.

O AMOR UNIVERSAL!

Eis o que deve ser feito por aquele que cultiva o bem e busca o Caminho da Felicidade:

* Ele deve ser correto e puro, gentil, dócil e humilde. Alegre, fácil de manter, uma vida leve e com o mínimo de envolvimento com as inquietudes do mundo, controlado em seus sentidos, discreto na manipulação de suas habilidades, refletido em suas ações e não demasiadamente apegado à família.

* Que não faça nada que seja indigno e que possa ser censurado pelos sábios. Que todos os seres possam estar felizes! Que todos os seres possam estar felizes e em paz!

* Que qualquer ser vivo, seja fraco ou forte, alto, médio ou baixo, pequeno ou grande, visível ou invisível, vivendo perto ou longe, nascido ou por nascer, sem distinção, possam todos os seres felizes!

* Que ninguém decepcione e despreze o seu próximo.

* Que ninguém prejudique e faça mal a ninguém por vaidade e que movido pela raiva, não amedronte e nem deseje ou provoque sofrimento para os outros e para si próprio.

* Como uma mãe, que com o risco da própria vida, protege o seu único filho, da mesma maneira, sem limites, mentalizar e desenvolver este sentimento de amor por todos os seres.

* Ele deve ter amor para com todo o mundo, com a mente sem limites, esvaziando-se de todas as fraquezas, sem obstáculos, sem raiva, sem conflitos, mentalizar amor para todos os seres acima, abaixo e à volta.

* Estando parado, em pé, andando, sentado ou deitado, em qualquer posição, estando acordado, manter a visão atenta. Este estado é chamado viver com Deus.

* Liberado de conceitos, sendo virtuoso, obtendo a visão do real, vencendo os desejos e a sensualidade, ele nunca mais renascerá de um ventre.

A MENTE!

* Todas as coisas são precedidas, guiadas e criadas pela mente. Tudo o que somos hoje é o resultado do que temos pensado. O que pensamos hoje é o que seremos amanhã; a vida é uma criação da nossa mente.

* A mente é instável e caprichosa, difícil de ser vigiada; ligeira, corre onde lhe apraz. Que o sábio a vigie: vigiada é um fonte de felicidade.

* Mais glorioso não é quem vence em batalhas milhares de homens, mas sim quem vence a si mesmo.

A VIDA!

* Muitos não sabem que estamos neste mundo para viver em harmonia, esquecendo-se de que morrerão em dia e que estão aqui de passagem. Para os que meditam nisso, não há divergências e a vida se torna mais branda.

* A idade consome este frágil corpo, ninho de doenças e decrepitudes, que a decomposição por fim desagrega. Atrás da vida esconde-se a morte. Nesta estrutura toda de ossos recobertos de carne e sangue habitam o orgulho, o ciúme, a hipocrisia, a decadência e a morte.

* Curta é a vida do homem, limitada e rápida, cheia de penas e tormentas. É necessário compreender isto sabiamente, fazer boas ações e levar uma vida nobre e pura e sem prejudicar ninguém; ninguém escapa da morte.

* “Esses filhos são meus, estas riquezas são minhas“. Assim se atormenta o insensato. Verdadeiramente, nem nos pertencemos a nós mesmos, muito menos filhos e riquezas.

* Quem nunca viu uma pessoa velha, sem dentes, cabelos raros e brancos, sem beleza; uma pessoa doente, fraca, sem energia, consumida pela dor e lamentos; um cadáver, rijo, frio, pálido, sem expressão. Nunca lhe ocorreu que ninguém está livre dessas coisas; da velhice, decadência e da morte?

* A ilusão do “eu” é a fonte de todo o mal, injustiça e o sofrimento. É o princípio de todo o ódio, da corrupção, da calunia, da indecência, do roubo, da opressão e do derramamento de sangue. O “eu” é a morte; a Verdade é a vida. O apego ao “eu”, ou à personalidade, é a morte contínua.

* A vigilância é o caminho da imortalidade; a negligência é o caminho da morte. Os vigilantes não perecem; os negligentes já estão como mortos.

AS AÇÕES

* Não menospreze o mal, pensando: “Ele não recairá sobre mim”. Assim como a água, gota a gota enche o pote, assim o néscio, pouco à pouco se deixa invadir pelo mal.

* Não superestime o bem, pensando: “Nunca o atingirei”. Assim como a água, gota à gota enche o pote, assim também o sábio, pouco à pouco torna-se uma fonte de bondade.

* O ódio jamais é vencido pelo ódio. O ódio só se extingue com amor; esta é uma lei eterna.

* O veneno não penetra na mão onde não há ferida, nem o mal atinge aquele que não o pratica.

* Melhor do que mil palavras vãs, é uma simples palavra que dê paz a quem a ouve.

* Mais vale um só dia vivido na virtude e na meditação que cem anos na ilusão do transitório, sem considerar que tudo surge para desaparecer.

* Não há deus, nem poder e lugar algum neste mundo que possa nos livrar do resultado das nossas ações boas ou más.

* Por mais poder, sucesso e realização que eu obtenha nesta vida, por mais que eu me viaje, proteja e me esconda, no final estarão me esperando um dos mensageiros do Caminho; a doença, a decadência e a morte.

* Doce como o mel parece para o tolo a má ação enquanto imatura; porém quando ela amadurece, o sofrimento e a má sorte aparecem de surpresa, inexplicável, amargo como o fel.

* A má ação não dá frutos imediatos, como o leite recém-derramado não azeda de imediato. Como o fogo escondido sob cinzas, um belo dia o mal irrompe sobre o insensato.

O CAMINHO!

* É fácil proteger o corpo de um homem das flechas envenenadas, mas é impossível protegê-lo das setas venenosas que se originam da sua mente.

* A cobiça, o ódio, a ignorância, o medo, a luxúria, e as paixões desenfreadas são os venenos mortais da mente.

* O homem busca a fama, a riqueza, o louvor, honras públicas e casos amorosos é como uma criança que lambe mel na lâmina de uma faca afiada.

* Se os homens cultivam pensamentos de ganância, ódio e vingança tornam-se mais gananciosos, violentos e vingativos. Se cultivam pensamentos de amor, bondade e caridade tornam-se mais amorosos, bondosos e caridosos.

* Aquele que desenvolve a concentração se esforça em afastar a cobiça e os maus desejos, mantendo a mente pura e tranqüila.

* A caridade e a conduta ética formam o alicerce sobre o qual se constrói o grande castelo, a tolerância e o esforço suas paredes.

* O sábio segue o caminho do meio: não se entrega aos prazeres e às paixões e nem se impõe sofrimentos e mortificações.

* O sábio segue o caminho das águas: onde quer que brote da terra ela chegará ao mar, seguindo apenas os contornos dos caminhos , sem esforço, suave, apenas fluindo.

* Fácil é sempre ver as faltas alheias, difícil é ver a nossa. Espalhamos as faltas alheias como palhas de trigo ao vento, mas as nossas, ao contrário, as dissimulamos como um jogador trapaceiro dissimula a sua fraude.

A SABEDORIA

* Da mesma forma que o armeiro fabrica flechas que sejam retas, o sábio corrige sua mente incerta e instável, difícil de vigiar e dirigir.

* Toda a vida e toda a existência, com toda a sua alegria e seu sofrimento, depende totalmente de um estado da mente e, velozmente, este momento passa.

* Se alguém para te aborrecer, fez alguma coisa desagradável, porque, então, aborrecer a si mesmo com o sofrimento que nasce da raiva e, assim, satisfazendo o inimigo?

* Considere quem gentilmente te aponta os defeitos como se desvendassem tesouros preciosos. Segue o sábio que te reprova os erros. Na verdade estar em companhia de tal bom amigo é um grande bem.

* Da mesma forma que a rocha não é abalada pela tempestade, aquele que busca a sabedoria se mantém imperturbável diante das censuras ou elogios.

* Aquele que é perfeitamente feliz vigia suas ações, refreia suas palavras e domina seus pensamentos.

* Se este corpo fosse meu, eu poderia ordenar: não fique doente, não envelheça, não morra! E ele obedeceria.

* Se esta mente fosse minha eu poderia ordenar: não sofra, não tenha medo, não pense ou deseja isto ou aquilo! E ela obedeceria.

* Aborrecer-se por antecipação ou alimentar tristezas do passado apenas consomem as pessoas. Não viva no passado, não sonhe com o futuro, concentre a mente no momento presente.

* Cada um é responsável pela própria felicidade, portanto, controle sua mente.

* Assim como a água sacia a sede dos bons e dos maus, trate com igual bondade o amigo e o inimigo.

REFLITA COM FREQÜÊNCIA!

* Eu aceito, compreendo e amo meu próximo como a mim mesmo.

* Eu cultivo sentimentos de amizade, simpatia e amor para com todas as formas de vida.

* Penso menos em mim e mais nos outros.

* Eu vivo com amor, atenção e consciência.

* Eu estou consciente agora! Tenho consciência do meu corpo, pernas, braços, tronco e pensamentos.

* Meu único refúgio dos turbilhões da vida é estar atento e consciente do meu corpo, dos meus pensamentos e da paz do momento presente.

* Eu me esforço em fazer que é bom, em evitar o que é prejudicial e em purificar a minha mente.

* Em tudo aquilo que me é próximo, querido e de valor há a mutabilidade, a impermanência, a transformação, a separação, a dor e o sofrimento.

* Ninguém possui pré-ciência do seu destino, mas as minhas ações, boas ou más, sempre produzirão os seus resultados.

* Um momento vivido sem atenção e vigilância é um momento para sempre perdido.

* Viver com amor e sabedoria é a melhor das orações.

* Eu vejo cada momento da minha vida de maneira correta, com lucidez, atenção e discernimento.

* Eu vejo as coisas como realmente são.

* A morte é certa e a vida é incerta.

* Que todos possam estar felizes e em paz!

Leia este pequeno guia sempre que for possível. A leitura e reflexão sobre o significado do seu conteúdo de forma freqüente e regular irá registrar na sua memória um tesouro inigualável. Se você, além de ler atentamente, imaginar-se vivenciando cada uma das instruções nele contidas, imprimirá no seu inconsciente as sementes de um novo e saudável

Elaborado e disponibilizado como um presente no Dhamma por Alexandre Lyra