Revista Lotus – Informativo

ÓRGÃO OFICIAL DA SOCIEDADE BUDISTA DO BRASIL
Estrada Dom Joaquim Mamede 45, Lagoinha, Sta. Tereza
Rio de Janeiro

ANO I 1975 Nº 1

Editor Responsável: GEORGES DA SILVA
Redatora Chefe: RITA HOMENKO
Colaboradores: Marco Antonio Arantes
Carlos Kassab
Clarisse de Oliveira
Rogel de Souza Samuel

Editorial
Resumo histórico da SBB
As origens e o surgimento do Budismo
Os fundamentos do Budismo
Introdução ao Zen
A difusão do Dharma no Tibet
Meditação
Costumes e regras monásticas na Tailândia e Sri Lanka

Informativo
Capas

 

INFORMATIVO

DESCRIÇÃO DO VESAK 1974 – Neréa Hermida Alves da Cunha

De acordo com a tradição budista é realizado anualmente um festival para comemorar três acontecimentos importantes na vida de Sidarta Gotama — o Buda.
Na 1ª lua cheia de maio registraram-se seu nascimento, iluminação e morte. O VESAK é a comemoração desses acontecimentos.

Adeptos e simpatizantes nesse dia oferecem flores em abundância, simbolizando a Impermanência dos acontecimentos humanos; as lanternas coloridas simbolizam a Iluminação do Sidarta Gutama, o Buda. (Tathagata).

Este ano, no primeiro dia de lua cheia de maio, segunda-feira, dia 6 do corrente, reunimo-nos em Santa Tereza no Centro de Meditação da Sociedade para comemorar o VESAK.

Flores em profusão ornavam o altar onde mais de trezentas pessoas ofereciam uma flor e uma vela acesa, saudando o Divino Mestre com a oferenda do incenso.

Iniciando o ritual o Venerável Monge Tokuda, convidou o Sr. Don Jayanetti (ex. Bikkhu T. Anurudha) para recitar os sutras em pali de acordo com o ritual Theravada, que foram cantados com voz doce e humilde, e a mensagem dita em português, que comparava a vida às belas flores expostas no Altar: — “Elas também nascem, crescem, desabrocham, murcham e morrem”…

Sob os efeitos das vibrações de Paz e Harmonia que os Sutras Palis trouxeram ao centro foi lido o discurso de Sidarta Gotama, (considerado o mais importante de todos) o — Satipatthana Sutta — pelos nossos irmãos Dr. Georges da Silva, Rita Homenko e Isabela Diamante. Ele nos recordou:

…“Só há um caminho, ó monges, que conduz à purificação dos seres, a extinção do sofrimento e da tristeza, a destruição dos males físicos e morais, à aquisição da conduta reta, à realização do Nirvana. Este caminho é o das quatro formas do Estabelecimento da Atenção ou Vigilância. Aquele que praticar esses Quatro Fatores do Estabelecimento da Atenção durante 7 anos, 6 anos… cinco, quatro, tás, dois, um mes, ou mesmo 15 dias, podeá colher um desses dois Frutos: O Estado de Arahant nesta vida ou, se existe ainda um resíduo de apego, ao Es tado de não retornar a este mundo!…”

Do fundo do Puja a cidade brilhava em fosforecências, brotando do silêncio a voz do Monge Tokuda, que em breves palavras explicou os quadros expostos, simbolizando a biografia do Sidarta Gotama, o Buda, e a sua Iluminação, acentuando que depois da Iluminação recebida, o Buda permaneceu em meditação no estado de Felicidade pela visão adquirida do Dharma. Surgiu uma dúvida: — se valia pena divulgar a Verdade visto do Dharma ou guardar silêncio. Essa dúvida simbolizada por Mara (tentação) aconselhava ficar-se em silêncio, para assim alcançar o Nirvana imediato. A seguir o Brahma apareceu e aconselhou levantar-se e divulgar o Dharma para que os outros também chegassem a compreensão.

A seguir o Monge Tokuda lembrou-nos a fragilidade humana e contou-nos provas a que se submetem os candidatos a vida religiosa nos mosteiros ZEN. Provas de coragem, paciência e tolerância e outras em numero de 99, para finalizar com a 100ª da Compaixão que finalmente decidira pela admissão do candidato. Prova tão importante que o seu fracasso invalidará as 99 anteriores. 99% do aprendizado simboliza o cultivo e desenvolvimento do seu próprio interior, sendo que 1% e a compaixão para que os leigos também usufruissem da Sabedoria. Por esse motivo se esforçam na propagação da Doutrina para o mundo.

Com esse 1% Sidarta Gotama divulgou os seus ensinamentos durante 45 anos.

CARTAS RECEBIDAS

Em vista da simpatia que nutro por estudos de natureza espiritualistas e, em particular, a dedicação que sociedades como a vossa, colocam ao alcance daqueles que buscam o saber e o conhecimento maior, venho pela presente solicitar, se possível for, informações da vossa sociedade, material ilustrativo,condições para ser admitido, etc. Certo de contar com a vossa atenção, coloco-me à disposição, sem mais subscrevo-me. Atenciosamente,

Henry Egbert Weytingh — Ilha do Governador

Sou grande admirador das mais belas religiões oriental e universal, destacando-se entre elas o BUDISMO. Sendo que neste setentrião Norte Goiano, o intercâmbio cultural ainda é um pouco atrazado, não contamos com rede de televisão, rádios e outros órgãos de propaganda, os jornais chegam sempre atrazados despertando assim interesse a longa distância. Desejaria participar desta religião, e para tanto queria se possível algumas informações para um Budismo perfeito, quais as condições para tal, onde e como pregar e participar de concentrações. Esperando ser atendido pelos meus co-irmãos, fico aguardando qualquer informação por parte de V.Sas.

Raimundo Dias Oliveira, Araguaina — Goiás.

Registro de Publicação do Lotus

 

Registro no Ministério da Justiça: n° 1.511 pág. 209/73


Agradecemos ao Sr. Rogel Samuel pelo material fornecido.